Participe

Prefeitura de Inhapim inaugura galeria em homenagem aos prefeitos que administraram o município

A imagem pode conter: 6 pessoas, área internaNa noite de sexta-feira (14) a atual administração de Inhapim, chefiada pelo prefeito Márcio Elias de Lima e Santos, o “Macinho”, realizou um ato solene de inauguração da galeria de prefeitos, instalada no segundo andar da prefeitura. Após a solenidade, um jantar foi servido a diversas autoridades e alguns ex-prefeitos de Inhapim e seus familiares.

Desde que foi emancipada, 21 administradores passaram pelo município. O prefeito Marcinho contou que a galeria que existia era anterior ao ano de 2000, já estava desatualizada e quase extinta. A galeria tem como objetivo valorizar a história e os prefeitos que contribuíram para o crescimento de Inhapim. “Essa galeria não é somente para ex-prefeitos, é de recordação, homenagem e aprendizado para as futuras gerações.

O segundo andar da prefeitura foi revitalizado, já estava necessitando, e aproveitamos a oportunidade para fazer um painel muito bonito para os gestores que contribuíram para a história do município”, disse o prefeito.

Até 1937, Inhapim era apenas um distrito subordinado ao município de Caratinga. A emancipação política administrativa aconteceu em 17 de dezembro de 1938 sob a administração de Guilhermino de Oliveira, que nasceu em Belo Horizonte no dia 8 de dezembro de 1907. Formado em medicina e direito, ainda jovem veio para Inhapim, chefiando o executivo de 1939 a 1946.

Com o tema “NOSSOS PREFEITOS, NOSSA HISTÓRIA” todos os ex-prefeitos foram homenageados no evento. Na inauguração alguns dos ex-prefeitos falaram da emoção de ter contribuído para o desenvolvimento de Inhapim.

Edvaldo Oliveira Fernandes, 85 anos, chegou bastante emocionado para o evento. Prefeito de Inhapim nos anos de 1967 a 1970, atualmente mora em Viçosa, e se lembra com alegria do tempo que ficou em Inhapim. “Estou encantado não só por voltar a Inhapim, aqui vivi um dos melhores momentos da minha vida, volto cheio de emoções, de sentimentos e alegria por rever grandes amigos”, ressaltou.

César Augusto Torres administrou a prefeitura nos anos 1989 a 1992, e atualmente é secretário do governo de Marcinho. Ele enfatizou a importância do cargo de prefeito. “Sabemos que ocupar o cargo de prefeito tem uma relevância muito grande porque é uma confiança da sociedade, que coloca o destino do município em suas mãos. Quando somos relembrados, reforça a importância do cargo, não para que nos encha de vaidade, mas para nos lembrar da responsabilidade que exercemos e a confiança que tivemos da população”.

Almiro Siqueira também foi um dos prefeitos de Inhapim. Sua gestão foi entre 1993 e 1996. “É muito bom saber que o prefeito reconhece o trabalho que fizemos, fui vice-prefeito de 88 a 92, secretário de obras 82 a 88, fui vereador em São Sebastião de Anta e agora sou secretário de Obras, do governo Marcinho. Fico feliz por ter escrito um pouco da história de Inhapim”, afirmou Almiro.

João Batista Marques governou Inhapim por dois mandatos, de 1983 a 1988 e de 1997 a 2000. “Quero parabenizar o prefeito com toda sua equipe que planejou esse evento, é uma maneira de mostrar a história de Inhapim desde sua emancipação até agora”.

PREFEITOS DE INHAPIM
Guilhermino de Oliveira – 1939-1945
Almério Paranhos – 1946
Armando Alves da Silva – janeiro a março de 1947
Geraldo Romanelli – abril a dezembro de 1947
Antônio Fernandes Filho – 1948-1950/ 1955-1958/1963-1966
Rodrigo do Valle Castro – 1951 a 1954
Argentino José Soares - 1959 a 1963
Dr. Edvaldo Oliveira Fernandes – 1967 a 1970
Norton Viggiano - fevereiro a outubro de 1971
Antônio Rezende - 1971 a 1972
Joaquim Pereira Neto – 1973 a 1976
Manoel Chagas Lopes – 1977 a 1979
Antônio Viggiano Filho – 1979 a 1983
João Batista Marques – 1983 a 1988/ 1997 a 2000
César Augusto Torres – 1989 a 1992
Almiro Siqueira de Almeida – 1993 a 1996
Jairo Lucca de Souza – 2001 e 2002
Paulo Rosa de Oliveira – 2003 e 2004
Hamilton Chagas Filho – 2005 a 2008/2013 a 2016
Grimaldo de Oliveira Bicalho - 2009 a 2012
Márcio Elias de Lima e Santos – atual prefeito.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, área interna  A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas em pé e área interna

Evangelho do Dia

Segunda-feira, 22 de Julho de 2019 

João 20,1-2.11-18

1No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus, bem de madrugada, quando ainda estava escuro, e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo. 2Então saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo, aquele que Jesus amava, e lhes disse: “Tiraram o Senhor do túmulo, e não sabemos onde o colocaram”. 11Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando. Enquanto chorava, inclinou-se e olhou para dentro do túmulo. 12Viu, então, dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.

13Os anjos perguntaram: “Mulher, por que choras?” Ela respondeu: “Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram”. 14Tendo dito isto, Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé. Mas não sabia que era Jesus. 15Jesus perguntou-lhe: “Mulher, por que choras? A quem procuras?” Pensando que era o jardineiro, Maria disse: “Senhor, se foste tu que o levaste dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar”.

16Então Jesus disse: “Maria!” Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: “Rabuni” (que quer dizer: Mestre). 17Jesus disse: “Não me segures. Ainda não subi para junto de meu Pai. Mas vai dizer aos meus irmãos: subo para junto do meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”. 18Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: “Eu vi o Senhor!”, e contou o que Jesus lhe tinha dito.

  - Palavra da Salvação.

 - Glória a vós, senhor