Participe

Minas tem a 1ª morte de varíola dos macacos no Brasil

Primeira morte por varíola dos macacos no Brasil é confirmada em Minas  GeraisO Ministério da Saúde confirmou, na manhã desta sexta-feira (29), a primeira morte por varíola dos macacos no Brasil. Trata-se de um paciente de 41 anos, do sexo masculino, residente em Belo Horizonte, confirmou a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais.

 No Brasil, são 978 casos, sendo 744 apenas em São Paulo. Minas Gerais segue com 44 casos confirmados de varíola dos macacos, no entanto o número pode aumentar, já que a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) investiga 130 possíveis casos. Outros 82 casos foram descartados e dois foram classificados como provável.

Nessa quinta (28), o Brasil confirmou os primeiros casos de varíola dos macacos em crianças. Os casos foram diagnosticados em três crianças, todos em São Paulo.



Em Minas, de acordo com informações divulgadas pela SES-MG nesta manhã, não há casos nessa faixa etária. Os confirmados são todos do sexo masculino, com idades entre 22 e 48 anos, em boas condições clínicas.

monkeypox é causada por um poxvírus do subgrupo orthopoxvírus, assim como ocorre por outras doenças como a vaccinia, a cowpox e a varíola humana, erradicada em 1980 com o auxílio da vacinação. O quadro endêmico no continente africano se deve a duas cepas distintas.

 

Itatiaia

29/07/2022

Evangelho do Dia

Quinta-feira, 11 de agosto de 2022

Mt 18,21-19,1

Naquele tempo, 18,21Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?” 22Jesus respondeu: “Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. 23Porque o Reino dos Céus é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados. 24Quando começou o acerto, trouxeram-lhe um que lhe devia uma enorme fortuna.

25Como o empregado não tivesse com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida. 26O empregado, porém, caiu aos pés do patrão, e, prostrado, suplicava: ‘Dá-me um prazo! e eu te pagarei tudo’. 27Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado e perdoou-lhe a dívida. 28Ao sair dali, aquele empregado encontrou um dos seus companheiros que lhe devia apenas cem moedas. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Paga o que me deves’.

29O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: ‘Dá-me um prazo! e eu te pagarei’. 30Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia. 31Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão e lhe contaram tudo. 32Então o patrão mandou chamá-lo e lhe disse: ‘Empregado perverso, eu te perdoei toda a tua dívida, porque tu me suplicaste. 33Não devias tu também, ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?’

34O patrão indignou-se e mandou entregar aquele empregado aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida. 35É assim que o meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão”. 19,1Ao terminar estes discursos, Jesus deixou a Galileia e veio para o território da Judeia além do Jordão.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.