Participe

Seis meses após chuvas, trechos interditados de rodovias mineiras seguem sem liberação

Pode ser uma imagem de árvore, estrada e texto que diz "BR- BR-262 262"Seis meses depois das fortes chuvas que atingiram Minas Gerais no início de 2022, vários trechos rodoviários seguem interditados e com desvios, causando dor de cabeça e transtornos para os motoristas.
 
Na semana passada, o governo federal concluiu a reforma de um dos pontos de interdição, na BR-381, em Nova Era, mas dois pontos de desvio seguem sem previsão para serem liberados: na BR-262, em Abre Campo, e na BR-381, em Bom Jesus do Amparo.
 
O ministro da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, comemorou a liberação do trecho em Nova Era que tinha sido completamente destruído pelo deslizamento de um talude. “Nós trabalhamos na BR-381, em Nova Era, onde entregamos na semana passada um trecho novo após um grande deslizamento na encosta. Obra que demorou, a sociedade cobra muito e com razão, estamos fazendo um esforço grande”, disse.
 
“Minas tem a maior malha rodoviária, o DNIT tem trabalhado intensamente nas rodovias, essas rodovias, 381 e 262, são regiões com relevo muito acidentado e sinuoso. Temos rodovias com geometrias antigas e ultrapassadas. O esforço é para construir rodovias melhores e mais modernas”, afirmou Sampaio.
 
Segundo Sampaio, o ministério está elaborando um plano para o período chuvoso e que os principais gargalos são conhecidos, mas os traçados inadequados e o relevo das vias ainda serão um grande desafio para o setor da infraestrutura.
 
“Os pontos que ainda não foram liberados, temos dificuldade em relação à geometria. Conseguimos liberar na semana passada o trecho da BR-381, que não é uma obra de engenharia simples, um talude de mais de 60 metros de altura escorregou, uma movimentação de terra muito intensa. Os trechos com problemas são conhecidos e estamos trabalhando um plano para o período de chuva em Minas. Vamos avançar até o novo período de chuvas. Em Abre Campo, na BR-262, quase um bairro inteiro escorregou no deslizamento, estamos trabalhando com a comunidade para ter o trecho liberado e fazer um plano de contingência até o final do ano”, explicou.
 
Itatiaia
29/07/2022

Evangelho do Dia

Quinta-feira, 11 de agosto de 2022

Mt 18,21-19,1

Naquele tempo, 18,21Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?” 22Jesus respondeu: “Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. 23Porque o Reino dos Céus é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados. 24Quando começou o acerto, trouxeram-lhe um que lhe devia uma enorme fortuna.

25Como o empregado não tivesse com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida. 26O empregado, porém, caiu aos pés do patrão, e, prostrado, suplicava: ‘Dá-me um prazo! e eu te pagarei tudo’. 27Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado e perdoou-lhe a dívida. 28Ao sair dali, aquele empregado encontrou um dos seus companheiros que lhe devia apenas cem moedas. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Paga o que me deves’.

29O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: ‘Dá-me um prazo! e eu te pagarei’. 30Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia. 31Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão e lhe contaram tudo. 32Então o patrão mandou chamá-lo e lhe disse: ‘Empregado perverso, eu te perdoei toda a tua dívida, porque tu me suplicaste. 33Não devias tu também, ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?’

34O patrão indignou-se e mandou entregar aquele empregado aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida. 35É assim que o meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão”. 19,1Ao terminar estes discursos, Jesus deixou a Galileia e veio para o território da Judeia além do Jordão.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.