Participe

Polícia procura caratinguense com histórico de feminicídio pela morte de mais uma mulher em BH

Pode ser uma imagem de 1 pessoa e ao ar livreJosé de Paula Vieira, condenado pelo assassinato da ex-mulher em 2000 e suspeito de ser o responsável pelo desaparecimento de Ana Paula Rodrigues da Silva, de 29 anos, em agosto de 2020, em Caratinga, agora é procurado pelo homicídio de uma mulher de 55 anos, em Belo Horizonte. O corpo de Regina Soares Viana foi encontrado enterrado em um depósito de materiais de construção, no bairro Glória, na capital mineira. José, natural de Caratinga, trabalhava na empresa há cerca de um ano e se relacionava com a vítima há um mês.
 
Regina desapareceu no dia 16 de julho, quando o sobrinho começou a procurar por ela em diferentes locais. Em meio às buscas, foi até a empresa do namorado da tia para conversar com ele. O sobrinho suspeitou das informações passadas por José, que o impediu de entrar no depósito. Nesse sábado (23), o familiar da vítima voltou ao local com a Polícia Civil. Ao vasculharem o terreno, encontraram o corpo.
 
José de Paula, de 60 anos, tem duas passagens pelo sistema prisional, entre janeiro de 2006 e julho de 2009 e, depois, entre outubro e dezembro de 2021. Recentemente cumpriu mandado de prisão e foi solto pela Justiça. Agora, é procurado pela polícia.
 
Ana Paula
Sobre o desaparecimento de Ana Paula Rodrigues em agosto de 2020, a Polícia Civil diz que não há comprovação do envolvimento de José de Paula. Mas a jovem moradora da rua Professor Olinto, em Caratinga, desapareceu depois de ter saído de casa com ele, dizendo que iriam para a casa dele, no distrito de Santo Antônio do Manhuaçu.
 
Quando a polícia o procurou, na época, José de Paula falou que deu dinheiro para Ana Paula voltar de ônibus para casa. Só que ela nunca mais foi vista. Em seguida o suspeito também desapareceu.
 
Disque denúncia
Qualquer informação sobre o paradeiro de José de Paula Vieira, de 60 aos, deve ser comunicada através dos telefones 190 ou 181. Não é preciso se identificar.
 
Rádio Cidade
26/07/2022

Evangelho do Dia

Quinta-feira, 11 de agosto de 2022

Mt 18,21-19,1

Naquele tempo, 18,21Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?” 22Jesus respondeu: “Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. 23Porque o Reino dos Céus é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados. 24Quando começou o acerto, trouxeram-lhe um que lhe devia uma enorme fortuna.

25Como o empregado não tivesse com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida. 26O empregado, porém, caiu aos pés do patrão, e, prostrado, suplicava: ‘Dá-me um prazo! e eu te pagarei tudo’. 27Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado e perdoou-lhe a dívida. 28Ao sair dali, aquele empregado encontrou um dos seus companheiros que lhe devia apenas cem moedas. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Paga o que me deves’.

29O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: ‘Dá-me um prazo! e eu te pagarei’. 30Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia. 31Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão e lhe contaram tudo. 32Então o patrão mandou chamá-lo e lhe disse: ‘Empregado perverso, eu te perdoei toda a tua dívida, porque tu me suplicaste. 33Não devias tu também, ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?’

34O patrão indignou-se e mandou entregar aquele empregado aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida. 35É assim que o meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão”. 19,1Ao terminar estes discursos, Jesus deixou a Galileia e veio para o território da Judeia além do Jordão.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.